Aeroespacial

A indústria aeroespacial global pode ser amplamente categorizada em dois setores, o comercial e o de defesa. Ambos usam componentes em aplicações críticas de segurança, tornando fundamental as inspeções de peças.

O setor comercial aeroespacial consiste em empresas que produzem aeronaves comerciais grandes, aeronaves regionais, aeronaves pequenas (como helicópteros e jets de negócios), mecanismos de aeronave, peças e equipamentos auxiliares, bem como satélites comerciais. O cliente final primário é a indústria global aeroespacial, onde se predomina o tipo "boeing" nos Estados Unidos e o "airbus" na Europa.

Aeroespacial

O setor aeroespacial de defesa é constituído de empresas que produzem aeronaves, mecanismos, peças, equipamentos, sistemas de armas e satélites militares.

As principais empresas desse setor incluem Lockheed Martin, Rolls Royce, Airbus, Martin Baker, Northrop Grumman, Raytheon, Boeing, General Dynamics e BAE Systems. A demanda é impulsionada pelos gastos com defesa.

Os subcontratantes fabricam uma ampla gama de componentes que são fornecidos para essas empresas aeroespaciais, componentes esses que variam desde sensores e conectores até lâminas de turbinas e sistemas eletrônicos.

Inspeção precisa de componentes de aeronave

Empresas do setor aeroespacial usam o sistema de inspeção ótica Lynx durante a classificação de componentes recebidos de subcontratantes.

Da mesma forma, os subcontratantes utilizam microscópios estéreos de inspeção, como o Lynx e o Mantis, para inspecionar as matérias-primas no momento em que são recebidas e na inspeção final, antes de enviá-las para as empresas do setor aeroespacial.

Por exemplo, o Mantis Elite é usado para inspecionar componentes usinados, como lâminas de turbinas, para identificar a presença de imperfeições antes de elas serem revestidas. Normalmente, os revestimentos são aplicados em componentes essenciais para maximizar sua vida útil e seu desempenho em condições adversas incluindo a exposição à diversas temperaturas, variações de umidade e vibração.

O Mantis é usado para inspecionar lâminas de turbinas e, especialmente, a passagem central para garantir que não haja partículas de pó e detritos antes de serem revestidas. A iluminação episcópica do microscópio Mantis Elite permite aos engenheiros inspecionarem perfurações e furos cegos para garantir que os componentes estejam prontos para o revestimento.

O microscópio Mantis estéreo pode trabalhar com longas distâncias e isso fornece aos engenheiros o espaço e a ampliação necessária para retrabalhar as lâminas de turbina, caso seja necessário fazer a remoção de rebarbas.

Utilização de um LED branco e UV (Ultravioleta) para a inspeção de revestimentos

Normalmente, outros componentes são fundidos e eles precisam de inspeção para garantir que eles tenham sido definidos corretamente e, durante o processo de fundição, não tenham perdido nenhum detalhe ou característica.

Depois do processo de fundição, eles também são revestidos e isso pode ser verificado com o conjunto de LED de iluminação branco e UV do Mantis. Ao usar o UV, os engenheiros poderão ver se há alguma rachadura no revestimento, que são vitais para garantir que os componentes foram fabricados conforme o padrão.

Prevenção de contaminação e deformação

Os componentes medidos para o setor aerospacial são essenciais, portanto, uma inspeção e uma medição completa são essenciais. Normalmente, uma medição sem contato é preferível para evitar a contaminação e deformação.

Dependendo do tipo de material usado na fabricação dos componentes, a complexidade das características, o tamanho dos componentes e os requisitos de medição, a Vision Engineering dispõe de diversas soluções de metrologia.