Enquire Now
Pagina inicialEstudos de casoUm enxerto fácil para cirurgia de transplante capilar

Um enxerto fácil para cirurgia de transplante capilar

Bydezembro 1, 2017Estudos de caso

O Physicians Hair Institute explica o processo de cirurgia de transplante capilar e as decisões feitas na escolha do equipamento certo para dissecção dos enxertos pelos técnicos de transplante capilar.

Há séculos, cientistas e pesquisadores médicos procuram uma solução para a calvície masculina. Muitos afirmaram oferecer a resposta definitiva, mas, talvez, uma das abordagens mais duradouras ainda seja o transplante capilar, um processo que usa o cabelo do paciente para transplante para outra área da cabeça.

A cirurgia de transplante capilar evoluiu significativamente tornando-se um processo rápido, realista e relativamente tranquilo. O microscópio de inspeção Mantis tornou-se a ferramenta favorita de muitos atuantes da área.

Criando tiras de cabelo do doador e dissecção do enxerto sob ampliação

Uma operação moderna de transplante capilar transfere cerca de 1.500 enxertos, cada um contendo entre 1 e 4 fios de cabelo, para a área tratada do couro cabeludo. Os enxertos são retirados de um doador, sendo removidos da parte de trás da cabeça do paciente.

A tira de enxerto tem normalmente entre 9 mm e 12 mm de largura e 75 mm ou mais de comprimento, dependendo da quantidade necessária de enxertos. Quando a tira é removida, a cicatriz resultante é fechada e torna-se imperceptível, sendo vista apenas com exames mais detalhados.

“A fase seguinte da operação exige muito cuidado e precisão, e é ai que o visualizador estéreo Mantis é usado.” Bill Eck do Physician’s Hair Institute, em Tucson, Arizona.

A tira do doador é dividida para criar microenxertos de 1 e 2 fios de cabelo, ou minienxertos de 3 ou 4 fios de cabelo.

Ao dividir a tira do doador para criar os enxertos para transplante, temos que ter cuidado para isolar o número exato de fios necessários para cada enxerto. Temos que evitar o corte transversal do enxerto, ou seja, o corte através da raiz do cabelo abaixo da superfície da pele. Como estamos trabalhando com folículos capilares individuais, é difícil de fazer isso a olho nu”,

explica Eck.

Bill Eck é assistente da Dra. Sharon Keene, fundadora do Physician’s Hair institute. Depois de a tira do doador ser removida com êxito, a Dra. Keene preparará o escalpo do paciente para aceitar os enxertos, enquanto uma equipe, formada normalmente por 2 técnicos, cria uma gama de microenxertos e minienxertos específicos durante a consulta primária.

A preparação do escalpo exige habilidade cirúrgica considerável para obter alta qualidade de resultado. Fora do local de trabalho da Dra. Keene, os técnicos dividem cuidadosamente a tira do doador.

Depois de criados, os enxertos são colocados em uma placa de Petri, prontos para o transplante. Para manter a direção de crescimento natural do cabelo, a linha capilar frontal do paciente é normalmente criada usando microenxertos de apenas um fio de cabelo, enquanto as áreas maiores são feitas com minienxertos com até quatro fios de cabelo.

“Olha para seu cabelo ou para o cabelo de seus colegas”, sugeri Eck. “É possível identificar folículos únicos na linha capilar, mas mais para trás os folículos são mais agrupados. Nós recriamos esses padrões no processo de transplante.”

Escolhendo o melhor equipamento para os técnicos de transplante capilar

“A finalização do tratamento pode levar de 3 a 10 horas, dependendo de fatores como o número de enxertos exigido para cada tipo de cabelo,” continua Eck. “Isso pode ser muito cansativo, especialmente quando estamos lidando com cabelos cinzas ou coloridos, por exemplo. Esses são os mais difíceis de ver e podem parecer transparentes sob a luz cirúrgica.”

Ele explica que para tornar esses cabelos mais visíveis e facilitar o processo preciso, muitas técnicas foram testadas.

Procuramos novos equipamentos que poderiam ajudar a fazer isso melhor e um visualizador de ampliação foi, consistentemente, a melhor solução. Agora operamos dois instrumentos Mantis, fornecidos pela Vision Engineering.”

O setor de cirurgia do Physician’s Hair Institute possui 2 microscópios de inspeção estéreo Mantis.

O microscópio de inspeção Mantis tornou-se popular em toda a indústria de transplante capilar, sendo usado por várias das melhores clínicas do mundo, incluindo o Laser Hair Institute ao norte de Miami Beach, o Physician’s Hair Center em Clearwater, Flórida e, é claro, o Physician’s Hair Institute em Tucson.

O microscópio sem lente fornece uma imagem estéreo verdadeira com ampliação selecionável pelo usuário de 2x a 10x, e pode ser usado por operadores que usam óculos ou lentes de contato.

Essa combinação de design ergonômico para permitir postura ideal e desempenho óptico para fornecer imagens com alta claridade permitem que os operadores do Mantis trabalhem de modo efetivo e confortável por períodos maiores, o que é excelente para técnicos que separam unidades foliculares durante cirurgias de transplante capilar.
Representação de cores, iluminação e percepção profundas são importantes para lidar com os enxertos de modo fácil, rápido e preciso.

“Uma operação não manual é, com certeza, fundamental,” diz Eck. “Anteriormente, usávamos lentes de ampliação de 2x, mas o Mantis nos proporcionou uma imagem superior e é muito mais confortável de usar.”

Embora a Vision Engineering oferece o microscópio Mantis com uma seleção versátil de acessórios para facilitar uma gama de aplicações, a configuração de base provou-se excelente para o Physician’s Hair Institute.